PortalGuaratiba

O portal da comunidade de Guaratiba.

Servindo à comunidade

Divulgando as notícias

Pedra de Guaratiba
Barra de Guaratiba
Ilha de Guaratiba

Notícias de Guaratiba

Entregue em Guaratiba protótipo de viatura de patrulhamento.

Centro de Tecnologia do Exército (CTEx) desenvolveu blindado.

Um novo blindado desenvolvido pelo Centro de Tecnologia do Exército (CTEx) poderá substituir as blazers e demais carros utilizados pelas polícias no patrulhamento do Rio. O protótipo da Viatura Especial de Patrulhamento (Vespa) foi apresentado na manhã desta quinta-feira (9) na sede do Centro, na Barra de Guaratiba.

"Não é um blindado como o `caveirão`. É um blindado que será usado no patrulhamento normal da cidade. O projeto demorou 12 meses para ficar concluído e foi feito para atender a todas as necessidades dos policiais", disse o major Aguiar, do CETx.

A blindagem do novo veículo suporta tiros de fuzil, inclusive nos pneus. Com capacidade para cinco pessoas, o carro tem seis seteiras, que é uma pequena abertura, que vão evitar que os policiais fiquem com o cano de suas armas para fora da janela. Seu peso é de seis toneladas, e pode chegar a 130 km/h.

O carro entrará em fase de testes nos próximos 60 dias. A princípio, ele será usado no patrulhamento das vias expressas do Rio. O valor do projeto não foi divulgado.

O evento de apresentação do protótipo contou com a presença do secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, e de representantes do Exército e das polícias Militar e Civil.

"O protótipo está aprovado. Após a fase de testes, vamos avaliar como ele será inserido nas polícias do Rio", disse.

| 10.10.2008 |Fonte: Veja galeria de fotos

Submarino Nuclear Brasileiro terá base na Baía de Sepetiba.

O início das obras está previsto para o próximo ano.

- O estaleiro e a nova base de submarinos brasileiros, incluindo o de propulsão nuclear, serão localizados na Baía de Sepetiba, em Itaguaí (RJ), com o início das obras previsto para o próximo ano. A informação foi divulgada pelo comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Júlio Soares de Moura Neto, durante a cerimônia de criação da Coordenadoria-Geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear (Cogesn), que ficará sob responsabilidade do almirante reformado José Alberto Accioly Fragelli.

- A área que nós queremos é a Baía de Sepetiba. Por vários motivos: perto dos pólos industriais do Rio e São Paulo já existe uma cultura nuclear com Angra I e II, além de ter facilidades como o porto de Itaguaí, disse Moura Neto.

Segundo o comandante, ali serão construídos quatro submarinos convencionais, movidos a óleo diesel, e o primeiro submarino de propulsão nuclear. O primeiro convencional deve ficar pronto em 2014 e os demais, a cada dois anos, a um custo unitário de US$ 600 milhões. Já o nuclear está previsto para entrar em operação em 2020, a um valor estimado em cerca de US$ 1,5 bilhão. Todos terão tecnologia francesa.

- O programa envolve, inicialmente, a construção de quatro submarinos de propulsão convencional e deles é que vai evoluir o casco e os equipamentos que nós vamos usar no submarino de propulsão nuclear, explicou.

A construção das embarcações vai gerar 600 empregos diretos, fora os indiretos, com as outras empresas envolvidas no projeto, conforme Moura Neto.

A Marinha tem uma base de treinamento dos Fuzileiros Navais na Ilha da Marambaia, na Baía de Sepetiba, que é reivindicada por moradores locais como área quilombola. Mas, segundo o oficial, a situação está sendo contornada, juntamente com a Secretaria Especial da Integração Racial. A base de submarinos será construída no continente, em área da união a ser definida.

Para o comandante, o Brasil tem que estar preparado para defender seus interesses estratégicos, principalmente depois da descoberta de imensas jazidas de petróleo sob a camada de pré-sal.

- A Marinha tem que ter capacidade de tomar conta de nossas águas jurisdicionais, que chamamos de Amazônia Azul. Então precisamos ter meios para isso. Na medida em que vamos descobrindo mais campos petrolíferos, aumenta mais ainda essa necessidade da Marinha estar presente junto a essas grandes riquezas, afirmou.

A construção do submarino nuclear vai ser possível graças ao desenvolvimento de um reator pela Marinha e a um acordo que será assinado em dezembro com a França, durante a visita do presidente francês Nicolas Sarkozy.

- Isto está nascendo de um acordo estratégico entre Brasil e França, que será uma parceira na colaboração do projeto do submarino de propulsão nuclear. A parte nuclear ficará a cargo do Brasil, porque nenhum país cede tecnologia nuclear para outro. A França vai nos ajudar na preparação do casco e na colocação dos equipamentos, explicou Moura Neto.

| 10.10.2008 | Veja projeto

Lei 4.919 define Barra e Pedra de Guaratiba como Bairros Temáticos de Pesca.

Finalmente veio o reconhecimento da vocação turística de Guaratiba.

O projeto foi aprovado e sancionado pelo Prefeito Cesar Maia em 7 de outubro próximo passado.

O projeto de Lei N¤ 1110 apresentado no Plenário Teotônio Villela em 04 de abril de 2007 por Carlo Caiado justificava:

"O projeto que apresento aos meus pares visa beneficiar o segmento da pesca em nossa cidade, que está bastante enraizado na cultura do Rio de Janeiro e tem como vocações naturais o céu, a praia, o mar e suas atividades correlatas.

A região de Barra de Guaratiba e de Pedra de Guaratiba, com suas características e geografia muito especiais, abriga um enorme contingente de pescadores artesanais, que tem na pesca, sua principal, e muitas vezes única atividade de subsistência. Assim, em decorrência da forte atividade pesqueira local, foi se formando naturalmente um Polo Gastronômico, contando com uma significativa concentração de restaurantes especializados em frutos do mar, fato este que, entre outros, confere grande identidade ao local.

A criação do Bairro Temático da Pesca, pôr sua idéia inovadora e de abrangente envolvimento social, profissionalizante, cultural e notadamente turístico, sem dúvida alguma dará enorme visibilidade para cidade do Rio de Janeiro, tornando-se um grande pólo referencial para nossa cidade.

Esta proposta, inédita no País, seria um atrativo a mais na cidade, que tradicionalmente tem forte vocação turística, e poderia com certeza, se beneficiar com o turismo ligado a pesca, além de criar uma identificação com os adeptos deste esporte que residem em nossa cidade."

| 10.10.2008 | Veja projeto em PDF

Reserva Biológica e Arqueológica de Guaratiba.

Estudo da Firjan constata crescimento horizontal de favela.

A Reserva Biológica e Arqueológica de Guaratiba foi criada, pelo Decreto Estadual nº 7.549, de 20 de novembro de 1974, objetivando, prioritariamente, a preservação de manguezais e de sítios arqueológicos de grande valor histórico para o Estado. Mais tarde, o Decreto Estadual nº 5.415, de 31 de março de 1982, reduziu-lhe os limites, para permitir a implantação do Centro Tecnológico do Exército - CETX. Porém foram acrescidos a esta Unidade de Conservação os manguezais e terrenos de marinha situados entre os rios Piraquê e Piracão, através do Decreto Estadual nº 32.365, de 10 de dezembro de 2002.

Com área de aproximadamente 3.600 hectares (36 quilômetros quadrados), a Reserva Biológica e Arqueológica de Guaratiba está localizada em Guaratiba no município do Rio de Janeiro, litoral nordeste da Baía de Sepetiba, abrangendo somente terrenos de marinha.

Administrador: Felipe Souza Queiroz
Endereço: Estrada da Matriz, nº 4445, Guaratiba/RJ CEP: 23020-710
Telefone: (21) 3394-2594

Segundo relatório da FIRJAN, diariamente chegam às promotorias de Meio Ambiente do Ministério Público estadual do Rio de Janeiro denúncias de ocupação irregular na cidade. É uma montanha de 600 procedimentos, que incluem construções irregulares como a denunciada na reserva biológica e arqueológica de Guaratiba. Este é o espólio que o futuro prefeito do Rio vai herdar de Cesar Maia.

Apesar de o atual prefeito alegar que as favelas da cidade só crescem verticalmente, estudo recente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) constatou o contrário. A entidade, que entregou o estudo a todos os candidatos à prefeitura do Rio, espera concluir a segunda fase do levantamento antes da disputa do segundo turno.

| 10.10.2008 |Fonte:

Programa Saneando Sepetiba recebe recursos de R$ 31,2 milhões.

Apesar de ter sido divulgado, valor não aparece no DO.

De acordo com informações da Prefeitura, o Diário Oficial do Município divulgou resolução conjunta das secretarias municipais de Meio Ambiente e de Obras com referência ao Programa de Saneamento Integrado do Bairro Sepetiba, que determina acréscimo de recursos do Fundo de Conservação Ambiental de R$ 1.226.365,54. Com isso, o total para obras do programa ultrapassa R$ 31,2 milhões.

Segundo a notícia, a publicação detalha os serviços programados, conforme apresentação no Conselho Municipal de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro, com trabalhos que também beneficiam, além de Sepetiba, a região de Pedra de Guaratiba.

Fomos verificar no DO e não encontramos o valor, apenas uma referência ao inicio do "SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DO TRABALHO SÓCIO-AMBIENTAL DO PROGRAMA SANEANDO SEPETIBA - AP.5.3" a ser realizado pela Firma SERPEN SERVIÇOS E PROJETOS DE ENGENHARIA LTDA. O prazo é de 480 dias corridos com início em 01/10/2008 e término em 23/01/2010.

| 10.10.2008 |

Entenda a atual crise financeira mundial.

Miriam A'Pururuca faz parte de nossa "ekipekonômica".

Quer entender a crise que pode levar os Estados Unidos para o buraco, segundo Bush, e com ele parte do mundo?

"O seu Biu tem um bar, na Vila Carrapato, e decide que vai vender cachaça “na caderneta” aos seus leais fregueses, todos bebuns e quase todos desempregados.

Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose da branquinha (a diferença é o sobrepreço que os pinguços pagam pelo crédito e o aumento da margem para compensar o risco).

O gerente do banco do seu Biu, um ousado administrador formado em curso de emibiêi, decide que as cadernetas das dívidas do bar constituem, afinal, um ativo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento tendo o pindura dos pinguços como garantia.

Uns zécutivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, PQP, TDA, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrônimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.

Esses adicionais instrumentos financeiros alavancam o mercado de capítais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (as tais caderneta s do seu Biu ).

Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.

Até que alguém descobre que os bêubo da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e o Bar do seu Biu vai à falência. E toda a cadeia entra pelo cano."

| 10.10.2008 |