PortalGuaratiba

O portal da comunidade de Guaratiba.

Servindo à comunidade

Divulgando as notícias

Pedra de Guaratiba
Barra de Guaratiba
Ilha de Guaratiba

Notícias de Guaratiba

Muita lama em Pedra de Guaratiba.

Retiro dos Motoristas em Pedra sofre com lama nas ruas.

A localidade conhecida como Retiro dos Motoristas, em Pedra de Guaratiba (final da Estrada do Magarça, sentido Sepetiba), sempre conviveu com ruas sem asfalto, sem calçadas, e lama nos pés nos dias chuvosos. Porém, há algumas semanas o que já era ruim ficou pior, graças a um carregamento extra de barro espalhado nas principais ruas da região.

A situação está insuportável. É desumano o que fizeram com a população local, que agora chega com os sapatos e calças mais sujos ainda em seus locais de trabalho e estudo, num constrangimento sem fim. E os que possuem carro, pensam duas vezes antes de se aventurarem por este monte de lama escorregadia e perigosa.

Quando o sol aparece por vários dias, a situação melhora um pouco. A lama endurece, e podemos caminhar sem sujar muito os pés e sem perigo de escorregões. O aspecto das ruas ainda assim é assustador, de tão revirado que fica o solo. E basta a chuva voltar que o problema da lama volta também.

Diversos veículos já atolaram por estas ruas, dentre eles um microônibus da Prefeitura; uma van de transporte escolar lotada com cerca de 15 crianças que chegaram atrasadas para a aula; diversos carros de passeio comuns e três caminhões de lixo.


| 26.09.2008 |Texto e fotos da leitora Thaisa de Carvalho Torres

RJ Móvel visita Pedra de Guaratiba..

Moradores convivem com lama e esgoto a céu aberto.

A chuva parou no domingo, mas em vários bairros as ruas estão cheias de lama. Em Guaratiba, vivem 87 mil moradores, e eles chamaram o RJ-Móvel.

Você também pode pedir que o RJ-Movel vá até o seu bairro. É só telefonar para 2461-2030 e contar qual o problema do local onde você vive. O RJ-Móvel está a serviço da população.

Na Rua Major Mota, tem poste, mas não tem iluminação. Para não ficarem no escuro, os moradores instalaram um fio e colocaram um interruptor. Assim, eles acendem e apagam a luz todos os dias.

Outro problema na rua são os buracos. Os moradores disseram que ou eles enfrentam a poeira ou enfrentam a lama, nos dias de chuva. Outra preocupação de quem vive nessa rua é o esgoto que corre ao ar livre, bem perto das casas. No bairro Jardim Cinco Marias, o RJ-Móvel encontrou uma situação bem parecida.

Parece difícil de acreditar, mas, na Rua Pilão, vivem quase 300 pessoas. A última vez que choveu foi no domingo. E nesta terça-feira, a rua ainda está com lama para todos os lados.

A empregada doméstica Sandra de Souza contou à repórter Susana Naspolini que ela não foi trabalhar. “Toda vez que está chovendo, a gente não consegue ir trabalhar de tanta lama e tanta água. Não tem como. A gente corre até o risco de pegar alguma doença nos pés. Já teve uma moradora que caiu e teve fratura nos ossos. Ela quebrou a perna e teve que ir para o hospital”,conta a jovem.

Outro problema que os moradores contaram é o esgoto que corre a céu aberto. O auxiliar de marketing Marcos Farinha mora na rua há 21 anos. “É sempre isso. Quando chove, o esgoto transborda. Se encher, é intransitável. Nós não temos como passar. Nós temos que dar a volta pela rua de cima”, conta o senhor.

Atrás da Rua Pilão, tem diversas manilhas. “São doações que nós ganhamos para tentar amenizar um pouco a nossa comunidade. Nós vamos nos unir e vamos colocar essas manilhas para melhor um pouco. Do jeito que está não existe”, afirma um outro rapaz

A solução que os moradores encontraram para poder sair de casa foi amarrar sacos nos pés. “É uma falta de respeito com a comunidade. A gente queria, pelo menos, que olhassem para dentro desse bairro e vissem que há um ser humano que precisa de cuidados”, declara um morador.

A Secretaria Municipal de Obras disse que já tem projetos de obras de saneamento básico e pavimentação nessas ruas, mas disse também que não tem previsão, para que essas obras sejam feitas.

A RioLuz informou que colocar esse interruptor no poste é proibido e perigoso e disse que vai enviar técnicos na Rua Major Mota para verificar o problema da iluminação.

| 26.09.2008 | Fonte: RJ TV - Noticiário da Globo

Oficina de Mágica no Recreio Shopping.

Vale a pena levar a criançada. ENTRADA FRANCA

Ao final de cada oficina será sorteado 03 kits de mágicas para as crianças e aos participantes de todas as oficinas no final vão receber seu diploma assinado pelos mágicos.

Dias 03/10 e 05/10 - Oficina com o Mágico Junior

Finalizando com o show de mágicas e ventriloquia com o seu boneco falante Ronaldinho. Direcionado ao público infantil, seu ponto alto é a interatividade. As crianças participam de quase todo o show em números criados para que elas ganhem o mérito pelo sucesso das mágicas.

Dias 04/10 ,10/10 e 12/10 - Oficina com o Mágico Ramon

Finalizando com o show de mágicas e ventriloquia com seu Macaco falante. As mágicas são divertidas e ao mesmo tempo inteligentes, deixando aquela pergunta na platéia: como ele fez isso? Ramon proporciona uma atmosfera de pura magia.

Dias 11/10 - Oficina com o Mágico Drakyni

Finalizando com Show de mágica e ventriloquia com o seu Coelho falante. O mágico apresenta números de belo efeito utilizando pequenos objetos como por exemplo: cordas, moedas, dados, cartas de baralho entre outros. O fascínio da arte mágica e dos momentos de alegria e entretenimento.

| 26.09.2008 |

Expansão imobiliária em Guaratiba.

Ocupação predatória da região não está sendo acompanhada pelo Estado.

Conforme reportagem publicada no Jornal O Dia esta semana, o Rio está crescendo em direção à Zona Oeste, mais precisamente, podemos afirmar, em direção à Guaratiba.

Apesar do jornal não citar nosso bairro como fronteira da expansão imobiliária, sentimos na pele, ou por outra, nos espaços ocupados, que Guaratiba é a bola da vez.

Os políticos que incentivam a favelização da cidade como meio de formarem um "curral eleitoral", já ensaiam por estas bandas, garantindo aqui e ali a ocupação clandestina e predatória.

As fraldas dos morros vão sendo ocupadas e as matas derrubadas na calada da noite. Os espaços públicos, os poucos que temos, vão sendo tomados pela camelotagem, principalmente no verão. Em pouco tempo teremos uma feira com várias barracas em lugar das praças.

Nossas escolas estão abarrotadas de crianças e o nosso povo sem transporte corta distâncias em ônibus apertados ou piratas. Nossas casas e muitas outras que estão surgindo continuarão sem esgoto e sem água, esta somente conseguida com as benesses da natureza, que por enquanto nos oferta nascentes dos morros e um lençol freático abundante com água da boa.

Enfim, todos falam de Santa Cruz, Bangu e Campo Grande, que são bairros onde já começa a aparecer uma superpopulação, devido principalmente a oferta de serviços e infra-estrutura urbana, mas Guaratiba apesar de não possuir nada disso, continua sendo ocupada por uma classe média simpática que vem resolvendo os problemas decorrentes da falta de infra-estrutura.

| 26.09.2008 | Leia: O Rio cresce em direção à Zona Oeste

Filho de Jerominho fica calado em interrogatório no Rio

O ex- policial militar Luciano Guinâncio Guimarães, filho do vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, usou do direito de permanecer calado durante seu interrogatório realizado nesta quarta-feira no Tribunal de Justiça do Rio.

Ele foi preso no último dia 18 em Barbacena (MG), acusado de integrar a milícia intitulada Liga da Justiça, que atua na zona oeste do Rio.

Luciano Guimarães responde ação penal juntamente com mais dois familiares: o tio, deputado estadual Natalino José Guimarães; e o pai, vereador Jerominho. Além deles, outra cinco pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Estadual.

Eles são acusados de exigir dinheiro de motoristas de vans e kombis, comerciantes e moradores dos bairros de Campo Grande, Guaratiba, Paciência, Cosmos e Santa Cruz, em troca de "proteção" contra a atuação de criminosos da região.

O filho do vereador também está entre os 18 acusados de serem os autores da chacina na favela do Barbante, em Campo Grande (zona oeste do Rio), no dia 19 de agosto. Ele teria participado pessoalmente das mortes.

Oito moradores da favela, que não tinham envolvimento com crimes, foram assassinados por homens encapuzados e armados de fuzil, que entraram na favela e atiraram aleatoriamente, atingindo os moradores, de acordo com o inquérito da 35ª DP.

A polícia concluiu que os responsáveis pela chacina são integrantes da milícia Liga da Justiça, composta, segundo o delegado Marcus Neves, por policiais e bombeiros da ativa e da reserva.

Segundo Neves, os milicianos forjaram uma invasão de traficantes à favela --uma das áreas de atuação da Liga da Justiça-- para reconquistar a confiança dos moradores. Poucas semanas antes do crime, o grupo miliciano perdeu o controle de ao menos duas favelas da zona oeste para traficantes.

| 26.09.2008 |Fonte: Folha OnLine