Notícias de Guaratiba

Festa de São Cristóvão na Pedra de Guaratiba

Publicado em 03.08.2010

Há exatamente 31 anos acontece religiosamente, no sentido literal da palavra, no dia 25 de julho a comemoração do dia de São Cristóvão na Pedra de Guaratiba. Nem antes nem depois, com chuva ou sol, não tem tempo ruim. Este ano, portanto como em todos os anos, no domingo, a festa começou às 10:00 hs com uma carreata pelas ruas do bairro, onde não faltou a imagem do Santo. Assim que acabou a carreata foi servido um almoço pra quem chegasse no Espaço Apicuns na Rua Barros de Alarcão, estava programado um "Siri metido a besta" (no molho), mas segundo os organizadores a escolha caiu mesmo na sopa de siri e no mocotó.

Mas afinal que festa é essa num bairro dominado pelas tradições pesqueiras, afinal São Cristóvão é o santo protetor dos motoristas. Quem promove a festa é um filho do Bairro de 60 anos de idade e muito serviço prestado a comunidade. Todos conhecem o Sr. José Valentim Cruz, o Valentim, morador da Rua Barros de Alarcão numero 415 e que há muitos anos não recusa ajuda a quem vai procurá-lo para transportar um doente para o hospital. Como todos sabem a Pedra de Guaratiba não tem ambulância para emergências médicas, e Valentim conta já com mais de 300 atendimentos a moradores que o procuram, de dia ou de noite, é um verdadeiro abnegado, que mesmo cansado é incentivado a ajudar a todos por sua esposa Ana Lúcia quando este titubeia no atendimento.

-"São mais de 300 atendimentos, já nasceu muito menino no meu carro", afirma Valentim segurando um maço de fichas de pessoas por ele transportadas e atendidas em hospitais. Essa coleção de fichas é seu tesouro que Valentim mostra com carinho e orgulho. Valentim tinha uma ambulância para transportar os doentes que o procuravam, mas roubaram a ambulância e agora tem de usar mesmo um Fiat Uno antigo e castigado para esse transporte.

A festa que promove juntamente com seu grande amigo Sardinha é decorrente de uma promessa que fez ao Santo para livrá-lo de uma aflição que passou em 1979 quando dirigia seu carro pela Estrada do Monteiro vindo de Campo Grande. Durante um temporal, no meio do caminho perdeu o freio, e o carro completamente sem freio seguia correndo pela estrada. Desesperado, segundo suas palavras ao contar o incidente, olha pelo retrovisor e vê uma medalha do Santo que seu pai havia pendurado como proteção. Implorou a São Cristóvão que o livrasse desse aperto. Sem nenhuma explicação o carro desacelerou e parou a um metro de um cavalo que cruzava seu caminho. Mais tarde na oficina soube que a mangueira do óleo de freio havia rompido e por isso não tinha explicação a parada repentina do automóvel a não ser o milagre do santo. Por isso Valentim tem promovido essas festas no dia de São Cristóvão. Ano que vem vamos todos ficar atentos para não perdermos a festa do santo.

Compartilhe essa notícia