Notícias de Guaratiba

Jaca tornou-se fruta valorizada por turistas e moradores da zona sul. Uma oportunidade de ganho para nossa gente.

Publicado em 05.03.2010

Vendedor de frutas em Barra de Guaratiba

Lemos recentemente em um artigo de jornal que a Jaca antes considerada fruta menos valorizada pelos cariocas tornou-se uma fruta muito apreciada por turistas e moradores da Zona Sul do Rio. Atualmente pode ser considerada praga lá pelas bandas da Floresta da Tijuca e Jardim Botânico, ainda assim custa caro pra quem mora por aquelas bandas.

Tão apreciada pela nossa população rural e atualmente por turistas que visitam o Rio, a Jaca é uma fruta originária da Índia e foi trazida pelos portugueses ainda no início da colonização e generosamente distribuída pela região de Guaratiba. Vamos conhecer um pouco de história e descobrir como esta fruta, está intimamente ligada à história de nossa região.

Abaixo acrescentamos fragmentos do texto original do historiador Manoel de Souza Lordeiro sobre o reflorestamento da Floresta da Tijuca:

"O Rio de Janeiro da segunda metade do século XIX enfrentava sérios problemas de urbanização com reflexos visíveis na qualidade de vida. Quase meio século havia decorrido desde a chegada da família real portuguesa e seu séquito, com a população acrescida, repentinamente, de cerca de 20.000 pessoas. Mas os efeitos dessa transformação ainda se faziam sentir, principalmente no que se referia ao abastecimento de água potável, que atingia níveis críticos. Os mananciais de então, situados nas encostas de Santa Teresa e do Corcovado, tinham seus cursos canalizados até alcançar os chafarizes e torneiras localizados em diversos pontos da cidade. Dali, através dos "Aguadeiros" - escravos - a água era conduzida às residências e estabelecimentos públicos e comerciais. As atenções dos administradores voltavam-se, assim, para os mananciais das encostas da Tijuca, em especial o rio Maracanã. O problema é que a partir do século XVIII essas encostas vinham sendo paulatinamente divididas em sítios e fazendas, dadas as suas condições propícias para a agricultura: fácil acesso e água em abundância. Tal procedimento resultou na devastação das matas, fato agravado pela extração de lenha e fabrico de carvão - os combustíveis da época - além do corte de madeiras-de-lei para construção. Tudo isso formava um cenário desolador."

Major Archer

"Em 11 de dezembro de 1861 D. Pedro II baixava instruções provisórias cujo art. 1º versava sobre plantio e conservação das florestas da Tijuca e Paineiras. Em 18 de dezembro de 1861 o imperador designava o major Manoel Gomes Archer para administrar a Floresta da Tijuca. Nascido no Rio de Janeiro em 21 de outubro de 1821, dele não há muitas referências bibliográficas. Em alguns documentos aparece vagamente como engenheiro e, ao que se sabe, não era militar. O uniforme que ostenta em sua foto mais divulgada seria de "moço do paço", e a patente teria algo a ver com a Guarda Nacional, a quem devemos muitos "coronéis" por esse Brasil afora. O que importa, mesmo, é que Archer era um verdadeiro amante da Natureza, com grande prática de silvicultura adquirida no trato direto e permanente com a terra, em sua fazenda Independência, na localidade de Guaratiba."

O Major Archer utilizou a jaqueira no reflorestamento do Maciço da Tijuca, simplesmente porque não havia água no local e nenhuma outra arvore desenvolvia. Foram utilizadas mudas da fazenda do Major, trazidas de Guaratiba. As jaqueiras foram portanto as primeiras árvores que conseguiram florescer dentro dos limites do Parque Nacional da Tijuca trazidas das matas de Guaratiba.

Voltando ao presente, soubemos que a barraca do Índio em frente ao clube de Remo do Vasco na Lagoa vendeu 60 jacas na semana passada, a R$ 45,00 cada, mais que água de coco que tradicionalmente vende. "Só para gringos" diz Índio. Nas feiras da Zona Sul um pacote com 12 gomos não sai por menos de R$ 5,00. Podemos considerar Guaratiba como sendo a terra da jaca com um grande potencial de produção da fruta. Ali na Estrada da Barra de Guaratiba alguns moradores nos finais de semana vendem uma fruta inteira por 10,00 , 15,00 e até por 5 reais.

BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina