Notícias de Guaratiba

Salomão afirmou: "Nada há de novo sob o Sol".

Ônibus BRT que Prefeitura quer implantar na Transoeste é versão moderna de Papa-Filas.

Publicado em 15.01.2010

Colocar ônibus compridos ou articulados com maior capacidade de passageiros para suprir linhas com grande demanda de passageiros, não é nenhuma novidade. Por volta de 1961 o então Governador do recém criado Estado da Guanabara, encampou as linhas de Bonde, então operadas pela Light. Na época eram evocadas irregularidades na prestação de serviços. Isso foi o início da desarticulação do transporte de massa na cidade do Rio de Janeiro com a conseqüente extinção do serviço, a despeito dos inúmeros apelos da população.

Por volta de 1967 foram introduzidos em algumas linhas os famosos Papa-Filas, numa tentativa desesperada de solucionar problemas de transporte de massa em linhas cujo aumento exponencial de passageiros não seriam atendidos, mesmo com aquisição de ônibus comuns que na época eram fabricados utilizando antigas carrocerias de caminhão adaptadas para passageiros, com uma lotação máxima de 25 passageiros sentados e 30 de pé.

Os papa-filas eram grandes carrocerias articuladas fabricadas pela Cermava S/A, no bairro de Piedade, e sua tração era feita por um "cavalo" da FNM. Na verdade, eram as mesmas cabines e motor utilizados no pioneiro caminhão da Fábrica Nacional de Motores, em Xerém. A lotação do papa-filas era de 120 passageiros, com 60 assentos. Devido ao seu comprimento, encontravam dificuldade de tráfego por algumas ruas, e em certas ocasiões, mesmo com a perícia dos motoristas causavam desconforto nos passageiros. A idéia então foi substituí-los por outros ônibus articulados que receberam o apelido de "sanfona" ou "minhocão".

Essas tentativas não deram certo e lembramos que na Grécia antiga, Aristóteles muito antes de Cristo, já dizia que "um povo que não aprende com a história está fadado a repeti-la". Hoje já não se vê minhocões ou papa-filas, pelo contrário, as empresas buscam desesperadamente uma solução para o enfrentamento dos custos com carros mais compactos e econômicos.

Segundo ROGÉRIO BELDA, Assessor Técnico da Diretoria de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos da Companhia do Metrô de São Paulo, "tanto o ônibus municipal, quanto o ônibus intermunicipal tem necessidade, para ser eficiente, de se integrar com a rede de alta capacidade representada pelos metrôs e trens".

Em entrevista no ano passado, AMIN ALVES MURAD, Presidente da SuperVia, afirmava que:

"Falta foco da atuação das autoridades públicas no que tange ao transporte de massa".

"É de fundamental importância a retomada da prioridade do transporte público nas cidades brasileiras acima de 300 mil habitantes. Nas Regiões Metropolitanas o desafio é ainda maior, pois são grandes massas que se deslocam diariamente e movimentam a economia local. É preciso prover estas Regiões com um transporte de alta capacidade e diminuir o impacto no meio ambiente. Neste cenário, é o transporte sobre trilhos que precisa ser repensado e resgatado como uma alternativa viável para o desenvolvimento para a implantação nestas Regiões".

Nós do Portal, esperamos sinceramente que o projeto da Prefeitura dê certo e tenha como foco o conforto e a segurança da população e os equipamentos sejam similares aos ujtilizados em Curitiba.

BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina