Notícias de Guaratiba

Polícia Civil prendeu oito milicianos na comunidade do Piraquê

Publicado em 19.10.2010

Em uma operação denominada "Biscoito" (provavelmente em decorrência do nome da comunidade "Piraquê") com o objetivo de cumprir dez mandados de prisão e 18 de busca e apreensão, as investigações da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas (Draco), que coordenou a operação, identificou e prendeu o grupo paramilitar que atuava na região de Pedra de Guaratiba, Ilha de Guaratiba e Barra de Guaratiba, com faturamento estimado em mais de R$ 1,2 milhão por ano, apenas com a exploração ilegal de TV a cabo.

Segundo Ferraz, titular da Draco, e o promotor Marcus Vinícius Leite, do Gaeco, ficou comprovado durante as investigações que o chefe da milícia, era o inspetor Eduardo Pinto da Cunha, atualmente lotado na 36 DP (Santa Cruz), mas que até bem pouco tempo trabalhava na 43 DP (Guaratiba).

Entre os presos além do policial civil, estão um PM e um militar do Exército. Dois suspeitos estão foragidos. O policial militar é Marcos Antônio Pisente Canário, o Marquinhos, e o militar do Exército foi identificado como Antônio Cosme Sacramento, o Sacramento. Foram presas ainda outras quatro pessoas da mesma família: Geraldo Maranhão da Costa, conhecido como Velho; os filhos, Pedro e Isabel Maranhão, e o sobrinho Antônio Luiz da Costa.

As investigações mostram que Cunha invadiu a favela em julho de 2010 com quase 40 homens. Após tomar o território, ele instituiu a cobrança de taxa de segurança, venda ilegal de gás e distribuição de sinal clandestino de TV a cabo.

Para ler mais:

Reportagem do Globo

Reportagem portal terra notícias

Compartilhe essa notícia