Notícias de Guaratiba

Até agora nada mudou para os passageiros da linha 381: Castelo - Pedra de Guaratiba

Publicado em 20.12.2010

Por Ronaldo de Andrade Inácio - Colunista do Portal Guaratiba



Numa ensolarada manhã de sábado de uma primavera no início dos anos 80 a população de Pedra de Guaratiba assistia às 10h30min. na Praça do Rodo, o "desfile" inaugural das cinco composições que formariam a frota de ônibus da linha 381 (na época Tiradentes x Pedra de Guaratiba). Em meio a discursos e rapapés, a operação da linha iniciou na segunda-feira seguinte. Com o passar do tempo foi ampliada e teve como consequência imediata a criação de uma variante da linha que recebeu o número 369, circulando através das Estradas do Mato Alto e Cachamorra.

Com a piora do serviço alguns anos depois, a falta de manutenção nos horários e nos veículos além de outros fatores negativos, a operação desta linha que pertencia à Viação Oeste passou a ser operada pela Auto Viação Jabour. Esta mantém o serviço até hoje e uma de suas primeiras providências foi a retirada lenta e gradativa de todos os carros convencionais, substituindo-os por veículos com ar condicionado, cuja passagem custa o dobro do preço e hoje tem o valor majorado em R$4,70 (quatro reais e setenta centavos).

Esse é o principal motivo pelo qual muitos trabalhadores no bairro não conseguem colocações em empresas no Centro do RJ já que o valor médio pago a titulo de Vale Transporte pela maioria das empresas corresponde à metade exigida para quem viaja na linha 381.

Além do alto custo da passagem, o tempo de viagem entre Pedra de Guaratiba e o centro da cidade chega a 3 horas e 10 minutos, tempo que não é atenuado nem pelos carros do tipo "expresso" que circulam a partir de Irajá pela pista chamada "seletiva" da Av.Brasil. O último carro que parte do terminal Menezes Cortes às 20h00min horas chega a Pedra de guaratiba às 23 horas e 30 minutos, na grande maioria das vezes vazio ou com poucos passageiros.

Seria até compreensível que um ônibus procedente do Centro para a Pedra de Guaratiba passasse por Bangú e chegasse à Pedra, através das Estradas do Pré ou Cachamorra. O que foge ao bom senso é esse mesmo ônibus partindo da Pedra de Guaratiba para atingir a Av.Brasil, tenha que passar pelo Jardim Maravilha, atravessar toda Guaratiba e Campo Grande, para então já do outro lado da ferrovia, atinja a Av.Brasil, fato que provoca em horários de rush um atraso de cerca de uma hora devido a esse itinerário "cata-passageiros". Esta atitude da empresa não se justifica até porque, não só do Centro de Campo Grande como das outras localidades partem linhas para o centro do Rio e com isso, não há necessidade da linha 381 passar por essas regiões.

Nos primeiros horários da manhã os carros da linha 381 saem do ponto final na Estrada da Matriz com maior número de passageiros (15 ou 20 passageiros por carro) sendo que a maioria destes passageiros destina-se a bairros em meio ao trajeto e pouquíssimos usam-no para atingir localidades do centro da cidade. Durante os outros períodos do dia os carros saem vazios, já que devido ao preço diferenciado nem os passageiros que se destinam a Campo Grande fazem uso da linha. Segundo a opinião dos usuários da linha 381, para que os carros não circulem vazios durante a maior parte do dia como vem acontecendo, a empresa terá que mudar radicalmente seu itinerário com carros partindo simultaneamente do Jardim Maravilha e Pedra, eliminando a necessidade do ônibus que sai da Pedra de Guaratiba passar pelo Jardim Maravilha.

Ao longo da administração de César Maia foram efetivadas através do site da Prefeitura, reclamações contra o alto preço da passagem da linha 381 e a retirada dos veículos convencionais. Dentre as poucas respostas recebidas ao longo de quatro anos, foi que a SMTU que nada havia achado de irregular na operação da "Jabour" e que estava tudo dentro do que foi "acordado" no contrato.

Acreditamos que essa era a maneira dos responsáveis fugirem do assunto inicial, sem ter que nos responder o motivo pelo qual os carros convencionais foram retirados e também porque o valor da passagem da linha dobrou sem nenhum aviso prévio. Até bem pouco tempo, a linha não funcionava aos sábados e domingos o que prejudicava o bairro que tem vocação turística, recebendo dezenas de visitantes nos finais de semana. Como as famílias de classe média e baixa sentiam dificuldades em pagar passagem individual de R$9,50 (cobrada pela linha Castelo X Santa Cruz) muitas deixavam de conhecer o bairro ou mesmo visitar parentes.

Houve mudanças importantes na atual gestão e há cerca de um mês, foram estabelecidas novas regras pela Prefeitura dentro da última licitação. Assim como aconteceu em outros bairros, os moradores de Pedra de Guaratiba esperam melhorias no sistema de transportes. Algumas empresas da região D (na qual Pedra de Guaratiba está situada) já desfilam com seus carros na nova cor determinada e com o nome do consórcio, porém, para os passageiros da linha 381 nada mudou e não mudará amenos que aconteçam mudanças urgentes, tais como:

01) Redução dos valores cobrados pela empresa Expresso Pégaso (que opera a linha Castelo X Santa Cruz - via Pedra, cujo preço é R$9,50) e Auto Viação Jabour (responsável pela linha Castelo x Pedra de Guaratiba) cujo valor é de R$4,70.

02) Encurtamento do itinerário com introdução de carros através da Linha Amarela, ao menos em horários de rush, na ida e volta para Guaratiba. Em Jacarepaguá, Barra e Recreio, a maioria das linhas possui variante com uso da Linha Amarela, como por exemplo, nos casos das linhas 240, 241, 268, 267, 269, 175, 179

03) Com o tempo atual da viagem "ponto a ponto" da linha 381, o Bilhete Único não oferece condições de ser usado a contento por grande parte de nossos passageiros, a não ser os que ficam ao meio da viagem ou embarcam nessa situação, rumo ao centro.

04) É necessária a recolocação de carros convencionais na linha, intercalados com os carros c/ar condicionado já que há pessoas que não gostam, não querem ou não podem fazer uso deste benefício, principalmente no inverno.

A inauguração do BRT na Transoeste, prevista para final de 2011 ou principio de 2012 pode até mesmo decretar o fim da linha 381, porém até lá será necessário que os passageiros tenham da Prefeitura do Rio a mesma atenção que é dada às outras regiões, já que a intenção das atuais intervenções é no sentido de beneficiar principalmente aos usuários do serviço.

Compartilhe essa notícia