Notícias de Guaratiba

Inservíveis no Ecoponto do Correia demoram a ser retirados.

Publicado em 26.03.2010

Ecoponto do Correia - Foto Portal Guaratiba

Um Ecoponto é um local estrategicamente escolhido onde a população no entorno pode descartar entulho de obras, materiais recicláveis e bens inservíveis. Geralmente algumas áreas degradadas são adaptadas para esse fim. Em tese o material é depositado pela comunidade e retirado o mais rapidamente possível pelos órgãos de limpeza urbana, pelo menos no mundo todo funciona assim, e a comunidade deve colaborar e não misturar lixo comum aos recicláveis.

Criado na gestão do Prefeito César Maia por Leonor de Britto, Diretora da Divisão Oeste de Serviços da COMLURB, nos idos de 2004, o Ecoponto de numero 44 no Largo do Correia, fica na Estrada do Mato Alto na praça Antonio Goulart. O bairro em que está classificado é Campo Grande e a abrangência seria teoricamente, o atendimento à Comunidade Olavo Gama - Rua H - Largo do Correia - Boa Terra - Magarça - Mato Alto - Recanto do Sabiá, entretanto comerciantes e moradores de outros bairros se servem desse Ecoponto, por exemplo para periodicamente despejar dezenas de pneus. Tudo bem que a finalidade é esta, mas o que a população tem observado é que o recolhimento não tem sido feito na frequência desejada, e os inservíveis ficam por longo tempo no Ecoponto permitindo talvez proliferação de mosquitos e outras pragas.

Na época de sua criação, foi uma solução inteligente para acabar com um matagal e um grande buraco que ali havia onde as pessoas jogavam lixo e animais mortos, além de acolher viciados em certas ocasiões. A obra patrocinada pela Michellin foi realizada em decorrência de um pedido protocolado pelo Sr. Valmir Soares Peixoto quando presidente da Associação de Moradores Olavo Gama e Adjacências.

Segundo moradores, antes, o material depositado no Ecoponto era recolhido no mesmo dia, hoje leva de 3 a 7 dias para ser recolhido, entretanto quando ali estivemos, verificamos que haviam algumas poças malcheirosas ao lado das caçambas na rampa, assim como dezenas de pneus encostados ao muro, mas o local parecia ter sido limpo recentemente.