Notícias de Guaratiba

A praia de Sepetiba será recuperada

Publicado em 30.08.2010

Após 40 anos de abandono e degradação ambiental, a praia de Sepetiba, com cerca de 2 km de extensão, vai passar por uma total recuperação ambiental. Entre as décadas 70 e 90, durante a dragagem para a construção e a ampliação do Porto de Itaguaí, toneladas de sedimentos foram depositados na baía. "O material acabou formando lodo, o que facilitou o surgimento do mangue na praia", diz Luiz Pereira, presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão responsável pela recuperação.

O governador Sérgio Cabral, a secretária de Estado do Ambiente, Marilene Ramos, e o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) Luiz Firmino Martins Pereira apresentaram o projeto de reconstituição da orla com a recolocação da faixa de areia e retirada da lama, além do remanejamento de uma área de mangue constituída por espécies invasoras e com infestação de caranguejos. As 500 mil mudas invasoras serão realocadas no Canal do Fundão, onde o Governo do Estado realiza obra de despoluição, e os 780 mil caranguejos que ali se estabeleceram serão levados para uma área vizinha à Base Aérea de Santa Cruz. Essas intervenções têm supervisão do biólogo Mário Moscatelli.

Em seguida, será iniciada a recomposição do solo arenoso. A atual camada de lodo passará por limpeza superficial com a retirada de lixo e será recoberta por geotêxtil (tipo de manta que permite o fluxo da água e de gases). O geotêxtil será assentado por faixas que serão costuradas entre si, formando uma única cobertura sobre a qual será disposta a camada de areia nova, a ser extraída de jazida submarina, na própria baía. Esse trabalho envolverá, inicialmente, uma draga autotransportadora de sucção e recalque, que terá a missão de extrair a areia e trazê-la para disposição na praia.

Concluídas as obras, a praia de Sepetiba terá uma faixa de areia de aproximadamente 400 m de largura. A faixa de areia alcançará altura média de 80 cm sobre o geotêxtil. As intervenções são realizadas com a participação da comunidade, incluindo colônias de pescadores, que participam ativamente dos movimentos em prol da recuperação da Baía de Sepetiba.

Os recursos para a execução das intervenções, a cargo da construtora Odebrecht, são de R$ 46 milhões, provenientes do Fundo Estadual de Conservação Ambiental (Fecam). A recuperação da praia atende às reivindicações dos cerca de 40 mil moradores do bairro. O governo pretende recuperar, até junho de 2011, as características originais da região.

Veja site oficial da obra - http://www.praiadesepetiba.com

Compartilhe essa notícia