Notícias de Guaratiba

Rio Guandu e o abastecimento do Rio de Janeiro

Publicado em 30.09.2010

Texto: Ingo Haberle - Conselheiro Parque Estadual Pedra Branca (INEA)

Os bairros da Barra e do Recreio têm dois parques importantes em seus domínios, o Parque Estadual da Pedra Branca e o Parque Nacional da Tijuca.Ambos fazem parte de um bioma denominado de Mata Atlântica que compreende dezesete estados brasileiros.

Neste mesmo espaço se situam 70 % da população do Brasil o que tem levado a imensos conflitos de ocupação de espaço. Hoje somente existem 7,84 % dos 1,3 milhões de Km2 originais destas florestas e quem vive nestas cidades de todo litoral do Brasil,depende de ter água de boa qualidade.

A cidade do Rio de Janeiro tem hoje mais de 10 milhões de habitantes dependendo de um único rio para os abastercer, que é o Rio Paraíba do Sul, que tem boa parte de sua vazão desviada para o Rio Guandu. Lá temos a maior estação de tratamento de água do mundo. Muito pouco é feito para reflorestar as margens deste rio e proteger e garantir os mananciais (florestas) que garantem a existência de água suficiente para toda esta população.

A Bacia Hidrográfica do Guandu terá uma verba de 2 Milhões de reais , mas efetivamente foram liberados nem 2 % deste valor. A verba total é irrisória ( são 20 centavos por habitante), quanto mais um percentual mínimo desta verba total. A falta de informação da população da real situação grave de risco de desabastecimento de água é preocupante e difícil de entender.

A formação no Brasil de um contingente de população urbana imensa que vive totalmente alheia em seus prédios e casas, que se formou em poucas décadas faz com que o poder público desconsidere a importância da natureza. Cada ser humano da classe média deve ao meio ambiente aprox. 80-100 árvores por ano conforme o www.carbononeutro.com.br.

Os programas de aquecimento global na TV alertam as pessoas, mas sua falta de vivencia na natureza e sua situação de vida selvagem nas pequenas, médias e grandes cidades, as tornam insensíveis aos alertas de desastres repetidos e cada vez mais intensos. As enchentes , os deslizamentos e furações são a parte visível dos desastres dito naturais. São conseqüências da ação humana pela destruição de florestas em imensas proporções.

Os resultados são alarmantes, mas o sinal de alerta não soou na cabeça de boa parte da população. Mas quando faltar água para tomar banho neste dia todos se lembrarão da falta de ações concretas e eficazes para reverter este quadro. O reflorestamento dá ocupação para pessoas de baixa qualificação profissional e nossa cidade possui quase 1000 comunidades onde se pode criar imensas áreas de trabalho. São frentes como eram as frentes de trabalho de criar açudes no Nordeste. Mas ainda invisível para uma imensa maioria. A cobrança de mudança de atitude da população e do setor publico esta cada vez mais veemente e enfático.

Cada um pode fazer a sua parte, cobre ações concretas.

Saiba mais sobre o Parque Estadual da Pedra Branca

Compartilhe essa notícia