Notícias de Guaratiba

Curso de educação ambiental na prática

Publicado em 30.09.2010

O CEPAG através de sua Câmara Temática de Desenvolvimento Ambiental, Projeto Plante Uma Árvore, ARGUA - Associação dos Produtores Rurais e de Plantas Ornamentais da Região de Guaratiba com apoio e participação do Portal Guaratiba iniciam no próximo dia 2 de outubro - sábado na Estrada da Matriz número 7245, Ilha de Guaratiba, com duração de duas com início às 16:00 hs uma série de palestras e ações sócio ambientais de preservação e desenvolvimento de práticas sustentáveis.

Guaratiba caracteriza-se pelo grande número de ocupações irregulares de terra, conjuntos habitacionais, bairros pobres de periferia e a falta de saneamento básico, onde se concentra a população de baixa renda. O que evidencia concretamente a exclusão social por grande parte da população.

Neste contexto encontramos as comunidades do Cabuçu de Baixo, Santa Clara, Cabuis, Retiro dos Motoristas, Brisa, Catruz / Capoeira Grande, Venda Grande / Pedra, Vila Mar / Piraquê, Campo do Saco, ABC / Agostinho de Castro / Carapiá,Guararema / Corrêa / Chacrinha, Matriz, Ilha, Barra, Peito Roxo, Pingo d'água / Reta de Santa Cruz, Cinco Marias e Jardim Maravilha. Sub-bairros de Guaratiba que propomos encaminhar o presente projeto.

De forma idêntica ao surgimento de tantas outras comunidades pobres da Zona Oeste, a população, das comunidades acima mencionadas, em busca do sonho da casa própria se confronta muitas vezes com ações ludibriantes e marginais de grileiros e loteadores irregulares que lhes dificultam o acesso à regularização da posse da terra, ao saneamento básico aos bens e serviço.

A maioria da população apresenta renda média de dois salários, e pior, sem acesso as condições mínimas sociais. Guaratiba é hoje a região da cidade do Rio de Janeiro que apresenta melhores condições de implementação de uma política urbana, privilegiando a qualidade do ecossistema, servindo, inclusive como espelho para futuras políticas de planificação urbana para o restante da Cidade. Somos uma região de 152km² com apenas 260.000 habitantes.

E apesar de termos a maior área contínua da reserva da Mata Atlântica não há nenhum projeto estratégico do poder público para este setor. Hoje encontramos extensas áreas degradadas sem nenhum projeto em andamento para a sua recuperação.

Daí a importância da realização do proposto projeto, cuja sustentabilidade deverá preferencialmente ser obtida de reciclagem geral (PET, papelão, papel, vidro, plásticos, alumínio e outros) e ou empresas que queiram apoiar.

Todo material será acondicionado em grandes sacos e encaminhado às empresas de reciclagens, gerado recursos para compra de adubos, terra, ferramentas para o reflorestamento.

Imprima o cartaz do curso e divulgue em sua rua

Compartilhe essa notícia