PortalGuaratiba

O portal da comunidade de Guaratiba.

Editorial do Portal e Coluna Fala Cidadão

Atualização semanal - Editorial publicado em 14.03.2010

Porque sinto um grande preconceito por ser um guaratibano de classe média, branco e honesto

É de minha índole e educação ser honesto, um defeito que herdei de meus pais, afinal ninguém é perfeito

Texto: Sergio Mello - Editor do Portal Guaratiba. Charge: Web

Não sei se é esse meu lado egoísta e sem sensibilidade que insiste em querer ser tratado da mesma maneira que os outros cidadãos cariocas. O fato é que cada vez mais, a cada novidade, vou me desiludindo e entrando num processo de depressão que só a custa de um exercício diário de "xingamento de político" consigo me controlar. Reservo pelo menos uns cinco minutos diários após a leitura das principais notícias do dia no meu velho e bom computador para falar mal do prefeito ao presidente.

É claro que começo de maneira ascendente, até porque se estou nessa situação de desespero tenho de começar por quem está mais perto, e vou subindo na hierarquia das "sacanagens" até chegar ao nosso presidente que agora parece que já vai admitir que sabia do "mensalão" e foi avisado pelo Roberto Jefferson. É claro que ele sabia, e todos nós também já sabíamos que ele sabia. Só ele que achava que nós não sabíamos que ele sabia.

Por ser guaratibano vejo o bairro abandonado e as ações pífias da administração municipal sempre se referir aos bairros da cidade e da famosa "Zona Oeste" que às vezes penso ser realmente uma "zona", porque são tantos bairros e tão diferentes entre si que turvam nossa mente e nos confundem, como deve confundir aos nossos administradores. O fato é que vemos falar de "investimentos na Zona Oeste", e parece que no Rio de Janeiro só tem por do Sol, o sol não nasce nunca. Colocam no mesmo balaio Barra da Tijuca, Realengo e Santa Cruz, e enchem a boca que estão fazendo investimentos na "Zona Oeste", só que em Guaratiba - nada. O túnel como vimos alertando, inclusive nesta edição, será pedagiado enquanto o corredor T5 que será também uma obra importante e cara ficará livre de cobrança.

Por ser de classe média e não morar em uma comunidade tenho que pagar água, luz, internet banda larga e TV a cabo, mas isso é uma conseqüência da própria situação de penúria que um morador de comunidade vive, diriam, e devemos ser altruístas para entender isso. Acontece que nossas contas de serviços são cada vez mais pesadas por conta da generosidade das empresas e quem paga somos nós, o governo não tira do dele para subsidiar essas contas. O dele está garantido e seguro no "Tesouro" Nacional. Quem mora em uma comunidade do outro lado da serra, na "Zona Oeste Oriental" ou na Zona Norte do Rio tem creche, curso de Inglês, Centro Esportivo, e todas as facilidades que os traficantes negociam com o Estado.

Ainda bem que minha filha caçula é moreninha e quando daqui a pouco estiver concorrendo a uma vaga na universidade, já lhe avisei, deve ir bastante a praia e morenar cada vez mais para ficar mais fácil de pleitear uma vaga nas cotas reservadas a negros e índios. Claro que há brancos pobres que estão na mesma situação dos negros pobres, mas por serem brancos não terão direito as cotas. Essa dívida social que está sendo paga pelos brasileiros é muito mais devida pelos coronéis que votaram a lei de cotas nas universidades visto que a grande maioria é ruralista apesar de não fazerem parte da bancada. O mais justo seria elevar o nível da escola pública e oferecer a mesma oportunidade a todos.

Finalmente, a minha honestidade me leva a uma total impossibilidade de receber o "auxílio reclusão" de até R$ 720,00, mesmo porque não estou preso, pois não matei nem roubei. É de minha índole e educação ser honesto, um defeito que herdei de meus pais, afinal ninguém é perfeito. O auxílio à reclusão só pode ser pleiteado pelo bandido que matou o trabalhador, a viúva do trabalhador assassinado não pode pleitear nada e o filho mais velho terá de ralar para sustentar os irmãos. Não podemos fazer absolutamente nada, visto que o Congresso só vota lei para favorecer bandido, até porque quem tem medo se previne - é natural do ser humano.

Fala cidadão(ã)

Atualização semanal - Coluna Fala-cidadão(ã) publicada em 14.03.2010

Agentes Comunitárias de Saúde de Guaratiba estão sem receber desde janeiro

Texto encaminhado por uma Agente Comunitária
Charge: Web

Escrevo a respeito do descaso com os funcionários do Posto de saúde aqui da Ilha de Guaratiba. Sou Agente Comunitária de Saúde e estou sem receber a três meses. Estamos trabalhando sem vínculo empregatício e pelo que sabemos isso acontece devido a troca da cooperativa.

Oficialmente nos desligamos da ONG CIESZO (Conselho de Instituições de Ensino Superior da Zona Oeste) oficialmente em 29/01/2010,e continuamos trabalhando sem vinculo empregatício nenhum, em 30/12/2009 assinamos o nosso aviso prévio que terminou em 29/01/2010. Na época havia a previsão de sair o dinheiro da rescisão no mesmo dia, e a homologação na primeira semana de fevereiro, só que até agora não recebemos o dinheiro da rescisão de contrato de trabalho, eles nos dão um prazo, o prazo passa e eles novamente nos dão um prazo, outro e mais outro e assim vai.

Queríamos saber quem nos pagará o salário referente ao mês de fevereiro. Segundo soubemos havia uma nova "OS" (Organização Social) que nos contrataria, a qual deveria absorver todos os funcionários dispensados pela anterior. Essa nova "OS", segundo soubemos, possui pendências jurídicas a serem resolvidas antes da contratação e a Prefeitura deu o prazo de 90 dias para regularização. Enquanto isso ficamos sabendo em uma reunião que provisoriamente entrará uma nova "OS" denominada "IABAS" (aquela que congrega os funcionários das UPAS) e nos deram o prazo para o pagamento do mês de fevereiro até o dia de hoje 12/03/2010, só que nada apareceu em nossas contas correntes.

Estávamos calados até agora, só que nem sabemos por onde começar a correr atrás de nossos direitos, estamos indignados porque continuamos trabalhando porque sabemos da necessidade de nossa comunidade, mas nós temos contas, filhos, e muitas de nós não temos maridos para suprirem nossas necessidades. Espero poder contar com a sua ajuda, para a divulgação deste problema, queremos o que é nosso por direito, pois trabalhamos porque precisamos.

BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina