PortalGuaratiba

O portal da comunidade de Guaratiba.

Editorial do Portal e Coluna Fala Cidadão

Atualização quinzenal - Editorial publicado em 17.05.2010

Baía de Sepetiba pede socorro

Cabral chorou quando retiraram parte dos royalties do petróleo do Rio de Janeiro. Qual deveria ser então a reação dos pescadores de Pedra de Guaratiba e moradores do entorno da Baía de Sepetiba com relação à degradação ambiental prevista pela implantação de indústrias poluentes na região?

Texto: Sergio Mello - Editor do Portal Guaratiba.

Cabral chorou quando retiraram parte dos royalties do petróleo do Rio de Janeiro. Na ocasião justificou que o Estado por ser produtor e principal vítima dos possíveis danos ambientais causados pela atividade e responsável na manutenção da infra-estrutura básica nas cidades do entorno, teria por decorrência e mérito, direito a uma recompensa ou royalties provenientes da extração do óleo, e, achava injusto e mesmo um "roubo" o que os parlamentares estavam fazendo ao aprovar a nova divisão dos royalties do petróleo.

Pois bem!... Qual deveria ser então a reação dos pescadores de Pedra de Guaratiba e moradores do entorno da Baía de Sepetiba com relação à degradação ambiental prevista pela implantação de indústrias poluentes na região? O complexo industrial que deverá se instalar nos manguezais e nas margens da baía certamente irá prejudicar enormemente não só a qualidade da água e do ar no entorno desse pólo industrial como também por força mesmo da circulação do ar e alterações climáticas numa degradação do ambiente para toda cidade do Rio de Janeiro.

É claro que será irreversível essa decisão e não adianta espernear, até porque não há outra saída e o aumento das atividades portuárias no Rio de Janeiro necessitam do porto de Itaguaí e do Arco Rodoviário em construção. A cidade do Rio de Janeiro cresceu à volta do antigo porto o que dificulta essa expansão decorrente do aumento de volume de carga. Hoje o Porto de Itaguaí já é o quarto em movimentação de carga e a Companhia de Docas do Rio de Janeiro, que o administra, já estuda a construção de dois terminais, de granel sólido e líquido.

Entretanto, o Porto de Itaguaí parece ter sido construído com o objetivo maior de exportação de petróleo e minérios e importação de carvão, e é natural que companhias que utilizam essas matérias primas se instalem na região, mas a que custo as autoridades do Rio de Janeiro na ânsia de conseguir recursos para suas incursões políticas cederam diante desse monstro engolidor de consciências chamado ambição?

Porto de Sepetiba em Itaguaí

A TKCSA recebeu do governo do Estado do Rio de Janeiro 9 quilômetros quadrados de uma Área de Proteção Ambiental (APP) para construir sua usina. Durante 12 anos a empresa estará isenta do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o que corresponde a aproximadamente US$ 150 milhões por ano. Também foi dispensada do pagamento de tributos municipais (ISS) por cinco anos, expirado em 2009. O benefício foi recentemente estendido por mais cinco anos. Além disso, o empreendimento faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal, tendo recebido R$ 1,48 bilhão de financiamento via BNDES.

Sua parceira a Vale do Rio Doce, antes uma das mais importantes e respeitadas empresas estatais, foi privatizada há 13 anos e hoje a Vale é acusada de causar conflitos ambientais e sociais em dezenas de países nos cinco continentes. Os problemas são tantos que organizações locais se reuniram e fundaram o Movimento Internacional dos Atingidos pela Vale que em março entregou um documento à ONU e OEA denunciando as ações da empresa.

Os cães ladram e a caravana passaA coisa não para por aí e várias outras empresas deverão se instalar na área, entre elas a CSN, Gerdau, LLX e Petrobrás. A Marinha pretende montar quatro submarinos convencionais e um movido à energia nuclear. E não adianta chorar sobre o leite derramado. Por mais que os pescadores de Pedra de Guaratiba e demais profissionais que dependem da Baia de Sepetiba façam, por mais que sejam denunciadas essas empresas pelas ONGs ambientalistas que formam barreira contra o projeto, ainda assim, de acordo com o famoso ditado árabe: - "Os cães ladram e a caravana passa".

É isso aí! A Baía de Sepetiba acabou, pelo menos para a pesca com seu pescado contaminado pelos metais pesados que se misturaram e continuarão se misturando à água e contaminando tudo. Deve o Estado, como convém a um Estado sério, pelo menos como acontece em outros países, proteger e compensar de alguma forma os prejudicados no processo. Esse negócio de dizer que essas indústrias estarão proporcionando empregos na região é balela, pois nada foi sinalizado que indique que estamos caminhando nessa direção.

Ponte de 4 km atravessa o mangue

Nossos irmãos pescadores estão desesperados e ameaçados e estamos com as mãos amarradas, pois não temos o poder de veto ou a autoridade necessária para obrigar essas empresas a se comportarem com dignidade e comprometimento sócio-ambiental. Na hora que votamos nesses que aí estão administrando o Rio de Janeiro transferimos nosso direito e lhes outorgamos o poder que nos prejudica agora. As Empresas estão desempenhando seu papel, ou seja, lucro a qualquer preço. Não são culpadas por fazerem o trabalho de casa e dar dividendos aos acionistas, os que não estão trabalhando como deveriam são aqueles que deveriam nos proteger.

Neste sábado a TKCSA publicou matéria paga no Globo informando sobre o início das operações e se justificando sobre os prováveis ruídos que serão percebidos nas áreas próximas e avisa que alguma fumaça poderá ser observada, mas que nenhum gás ou partícula prejudicial à saúde será liberada na atmosfera, quer no início da operação ou nos meses subseqüentes. Isso quem deve monitorar são os órgãos ambientais, pois nós, simples inaladores desse ar contaminado, só podemos tratar de nossas doenças depois de contraídas daqui a alguns anos, em clínicas particulares pagas com nosso dinheiro, pois o Estado não oferece tratamento de saúde decente em nossa região.

Recentemente, a Secretaria de Meio Ambiente do Estado divulgou um estudo que prevê o crescimento de 76% nas emissões de gás carbônico da cidade do Rio com a chegada da TKCSA. A usina será responsável por produzir 9,7 milhões de toneladas de CO2, o que corresponde a 12% do que é emitido por todo o estado atualmente. Ainda assim, na nota divulgada no Globo - Zona Oeste, a empresa afirma que utiliza as melhores tecnologias disponíveis para reduzir emissões.

A economista Karina Kato, integrante do Instituto Políticas Alternativas para o Cone Sul critica o atual modelo de desenvolvimento implementado por transnacionais como a Thyssenkrupp, que levam as indústrias mais sujas para países da América Latina. "A ThyssenKrupp vem utilizando no Brasil os mesmos padrões com relação à saúde e meio ambiente que seriam aplicados na Alemanha?", questionou a economista.

Leia mais sobre a TKCSA

Leia mais sobre a Vale do Rio Doce

Compartilhe esse editorial
Fala cidadão(ã)

Atualização quinzenal - Coluna Fala-cidadão(ã) publicada em 17.05.2010

Jardim Garrido, hoje com lama e lixo, será urbanizado pelo Prefeito Eduardo Paes

Texto e fotos enviados por nosso leitor José Carlos Leitão

Valão entupido e cheio de fezes

O jovem prefeito Eduardo Paes e seu jovem secretariado é motivo de orgulho para toda população da cidade maravilhosa e Brasil ,pois nestes poucos meses de governo tomam atitudes corajosas para colocar um fim nos desmandos de anos e anos de outras administrações que a cidade está, ninguém se importava com nada; eram praias sujas cheias de barracas e barracos, praças cheias de mendigos e sujas, políticos deixando encostas serem habitadas,briga com o governo estadual e federal.

Hoje graças ao bom Deus e as forças da natureza vemos jovens corajosos que comandam a prefeitura da cidade mais bela do planeta, fazerem choque de ordem em todo município, derrubar construções irregulares e perigosas, dar assistência aos desabrigados, ir nas rádios e tvs mostrando a cara sem medo e dizer para o povo: - "Não saiam de casa,fiquem em casa pois há perigo" , e o povo acreditou e não saiu, com isto a catástrofe foi menor, esta atitude corajosa correu o mundo.

Sou um jovem idoso de 66 anos e moro há 40 anos no loteamento Jardim Garrido em Pedra de Guaratiba (aprovado PA.L:19600 de 1955),e nestes 55 anos o loteamento vive mergulhado na lama com a vala da Avenida Alto Maranhão com águas estagnadas trazendo doenças. Nestes 40 anos conseguimos uma Escola Pública de nome Ema D´ Ávila, construída pelo prefeito Luiz Paulo Conde e a praça Verde Que Te Quero Verde construída pelo prefeito Cesar Maia, mas para se freqüentar a escola e a praça a população e as crianças andam na lama.

Chegou ao nosso conhecimento que o jovem prefeito e seus secretários estão na mesa com um documento para ser aprovado incluindo o Jardim Garrido P.A.L:19600 nas obras do Bairro Maravilha Oeste,seriam 37 ruas, a praça Verde Que Te Quero Verde, e a avenida Alto Maranhão.

Pedimos ao bom Deus que ilumine e guie as mãos do prefeito Eduardo Paes e seus secretários e aprovem mais este ato de coragem demonstrado pela atual prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro tendo na direção um prefeito que a tempos passados como vereador e secretário tirou o bairro, loteamentos de Jacarepaguá da lama, foi para Brasília e lutou pela cidade maravilhosa e agora e um prefeito com ( P ) maiúsculo sem dinheiro na cueca ou para comprar panetones e sim dinheiro regiamente controlado para ser gasto com bem estar da população da cidade maravilhosa.

É assim que se faz política, com coragem, desprendimento, honestidade, garra e muito amor.

Parabéns Prefeito, o Cristo Redentor está de braços abertos lhe dizendo: - "Obrigado prefeito o Rio está voltando a sorrir"

Semáforo que ninguém respeita no Correia põe em perigo crianças de uma creche

Texto enviado por nossa leitora Paulina Santana

Não sei se é um comentário ou uma reclamação! Trabalho próximo ao "Sacolão" do Largo do Correia onde existe um semáforo onde ninguém respeita e logo ali na parte de baixo existe uma creche municipal, onde a maioria das crianças utilizam este semáforo para chegar ou sair da mesma (atravessar a rua).

Gostaria que tivesse um pouco mais de rigor de nossas autoridades, que olhassem com carinho colocando uma fiscalização eletrônica ou câmera... Isso só vai acontecer quando uma de nossas crianças for atropelada. Eu mesma já quase fui atropelada 3 vezes, uma a moto buzinou para que eu saísse da frente... E o pior é que o semáforo estava aberto para os pedestres... Bom, no momento é só essa reivindicação, já que a associação de lá nada faz.