PortalGuaratiba

O portal da comunidade de Guaratiba.

Editorial do Portal e Coluna Fala Cidadão

Atualização quinzenal - Editorial publicado em 19.07.2010

Grandes obras, um cacoete do poder

Os recursos gastos com essas obras às vezes não justificam sua utilização que por vezes fica aquém das expectativas

Texto: Sergio Mello - Editor do Portal Guaratiba.

Ao ler e reler as notícias sobre ações dos nossos políticos administradores me deparo com grandes realizações e projetos mirabolantes com grandes inversões de capital e tecnologia, como se a competência ou eficiência daquele político fosse avaliada pelas grandes obras e projetos grandiosos. No momento tenho lido sobre o projeto de um trem-bala ligando o Rio a Campinas a um custo de 33 bilhões de reais, enquanto nosso transporte de carga ainda é feito em carroças por estradas esburacadas por esse Brasil afora. Temos outras obras cujo custo e benefício é discutível, tal o estrago que vão fazer na natureza e aos cofres públicos, assim é a usina de Belo Monte e a transposição do Rio São Francisco. Tal cirurgia plástica nas terras do Brasil podem até ser prejudiciais em longo prazo tendo em vista as prováveis alterações climáticas naturais preconizadas pelos cientistas.

No início de sua administração, o Sr. César Maia começou bem, dando uma repaginada na cidade com intervenções urbanas, localizadas e pontuais, mas espalhadas por toda a cidade, dando um equilíbrio e justificando os gastos que se viam em passarelas, avenidas e calçadas reestruturadas, ciclovias e canteiros por toda cidade. Foi uma época em que o bom senso e o olhar democrático do prefeito iam consertando e melhorando toda a cidade. Até Guaratiba que é normalmente esquecida foi premiada com obras na sua orla.

Mas o bom senso de repente acabou e um planetário foi construído longe dos olhos da população num parque subutilizado encravado quase no limite urbano do Rio de Janeiro. A Cidade da Música, um prédio caríssimo que continua abandonado na margem da Avenida das Américas na Barra da Tijuca, construído em terreno inadequado com altos custos de construção e contas que no final do mandato do prefeito teimavam em não fechar adequadamente. Hoje, a Prefeitura tem dúvidas ainda sobre o destino da obra que está parada. As obras do PAM ocuparam um bom espaço nas preocupações do antigo prefeito, e de qualquer forma estão aí para serem utilizadas mais uma vez nas Olimpíadas de 2016. Foi a cereja no bolo das grandes obras realizadas por César Maia.

Afinal, não podemos entender bem o que passa na cabeça de nossos administradores, não sabemos se é um cacoete do poder, ou falta de uma assessoria responsável e uma equipe comprometida com o bem estar da população. Fica a impressão que os técnicos que rodeiam o gabinete do político aceitam essas proposições malucas sem discutir e aconselhar seu chefe.

Hoje vemos o Sr. Eduardo Paes, comprometido com a Copa e os Jogos Olímpicos de 2016, iniciando obras importantes e necessárias para a cidade ao mesmo tempo em que dividindo sua atenção, planeja comprar um palacete em Botafogo sem saber bem o que fazer com o prédio, apenas com o objetivo de preservá-lo. Apesar da boa intenção, é preocupante saber que será mais um ponto no qual deverão ser investidos recursos para adequação e manutenção, qualquer que seja o destino achado para o antigo casarão. Este projeto de preservação, com que concordamos inteiramente, deveria ser proposto a outra instituição que não fosse a Prefeitura.

Afinal, o que é importante para o Rio de Janeiro, assim como para qualquer cidade grande é a questão da mobilidade urbana e esse parece ser o foco principal do Sr. Eduardo Paes. Como podemos observar, com mais esse projeto do VLT no centro da cidade e intervenções na área do porto, sua administração será um marco no setor. Finalmente, parece que agora começamos a andar depois de décadas de atraso. A Transcarioca, a Transoeste, a Transolímpica, o BRT, o VLT, a linha 4 do Metrô, a reformulação urbana do Porto, são obras de infra-estrutura urbana necessárias e oportunas numa cidade que dominada pelas empresas de ônibus, viu aumentar assustadoramente o transporte individual em decorrência do péssimo serviço de transporte oferecido e hoje amarga um entupimento nas principais artérias onde o tráfego cresce exponencialmente e todos os prognósticos tornam-se subavaliados diante do crescente número de carros nas ruas. As medidas que hoje estão sendo tomadas pela Prefeitura são ações de curto prazo que deverão ser complementadas no futuro com novos meios de transporte de alta capacidade para Guaratiba, Santa Cruz e bairros da periferia que já estão se tornando parte da própria metrópole.

Compartilhe esse editorial
Fala cidadão(ã)

Atualização quinzenal - Coluna Fala-cidadão(ã) publicada em 19.07.2010

Ano de copa, ano de eleição

Texto enviado por email - Tatiana Soares Moreira Caffaro - Corretora de imóveis em Guaratiba

É incoerente ver que o brasileiro ficou tão empolgado com a Copa e tão pouco incomodado com a votação para o fim do 13º salário.

É incoerente ver o brasileiro tão empolgado em sediar a próxima Copa e as Olimpíadas e tão pouco incomodado com a precariedade do serviço de saúde e ensino público. Escolas onde o aluno não tem aula de português por todo um semestre por falta de professor e postos de saúde sem o mínimo para um curativo.

Mas, ah! O que tem isso demais se vamos sediar as Olimpíadas e a Copa?

Eu duvido que alguém me diga agora o nome de 23 candidatos às eleições, ou pelo menos 11. Mas com certeza pelo menos 11 jogadores da Seleção entre campo e banco todo mundo sabe.

Andam dizendo por aí que até a Copa estava "arrumada" que o Brasil não podia ganhar essa, ah! E que o Dunga "estava ciente" afinal existia um "esquema".

Por quanto tempo mais conviveremos com a alienação, a ignorância, a falta de cultura, os esquemas, as conveniências, cestas básicas em troca de votos, dinheiro em troca de crianças nas escolas?

Para o brasileiro se tem futebol e carnaval pro resto a gente dá um jeito, tudo acaba em pizza, ou melhor: em samba.

Dizem que a única "coisa" que efetivamente dá cadeia nesse país é pensão alimentícia.

Engraçado que venho lutando há mais de um ano para receber valores pendentes de pensão alimentícia de meus três filhos menores que em fevereiro de 2008 perfazia um total de R$ 5.000,00. E de lá pra cá a pensão continua sendo paga parcial e já cheguei a ouvir de um juiz de direito que se o pagamento é parcial, infelizmente não se tem o que fazer. E vamos combinar: qual o ibope que dá prender um anônimo por falta de pensão? Na mídia só Romário. Como não tive filhos com ele, vou adotar o critério de pagamento parcial para pagar minhas contas. (risos)

Pagar a luz parcial, o telefone parcial, a comida, a roupa, a farmácia, o cartão de crédito, o aluguel, tudo parcial, e infelizmente nada poderão fazer. Nem cortar o fornecimento de luz, água e telefone, nem me despejar, nem mandar meu nome pro SPC e SERASA, afinal estou pagando parcial.

É incoerente ver o governo gastar mais de R$ 1.000,00 com um preso - esse valor é de um preso, quantos presos temos no nosso sistema carcerário? - e um chefe de família ganha R$ 510,00 por mês para custear filhos, casa, comida, roupa, etc.

Temos o carro apreendido se não pagamos o IPVA, mas os gastos com manutenção de pneus, rodas, balança, amortecedores, suspensão, por trafegarmos em vias vergonhosamente esburacadas e mal recapeadas (exemplo: Avenida das Américas trecho que vai da Serra da Grota Funda até santa Cruz) quem nos ressarci?

As UPPs estão funcionando nas favelas da Zona Sul? Ótimo. Mas seria bom que fossem também nas favelas da Zona Oeste. E quando digo Zona Oeste não me refiro à Barra da Tijuca nem Jacarepaguá, sim, porque político só se lembra da Zona Oeste além Grota Funda, em época de eleição, até porque é onde se concentra o maior "rebanho eleitoral". (Desculpem a expressão rebanho, mas é porque o eleitor é tão pacífico e manso. caminha pro abate sem nem a expressão de revolta).

Ruas pintadas e ornamentadas, cornetas, buzinas, tudo em prol da taça. Por que não tocarmos buzinas e cornetas gritando "fora ladrões!"?

Por que não tocarmos buzinas e cornetas em prol da mudança do Código Penal? Que foi criado em 1940 num tempo que não havia computador e hoje em 2010 os crimes são cometidos pela Internet.

É incoerente, já que vivemos numa democracia e o voto ser obrigatório.

A última vez que me dirigi a minha seção eleitoral foi para votar contra o desarmamento e qual não foi minha surpresa: não, pude votar por uma pendência na justiça. Mas e os políticos eleitos envolvidos até em homicídios? Sem comentários.

É incoerente um menor de 16 anos poder votar para escolher o presidente de uma nação, mas não poder responder criminalmente.

É incoerente um menor ameaçar um professor dentro de uma escola e o mesmo professor não poder adverti-lo, retirá-lo de sala ou suspendê-lo porque estará infringindo o Estatuto da Criança e do Adolescente enquadrando-se no crime de "constrangimento ilegal".

É incoerente não poder algemar um preso. Também é constrangimento?

Por que tenho que votar em candidatos que não se afinam aos meus ideais?

Ninguém pensou que a falta de eleitores suficientes obriga os partidos a apresentarem novos candidatos?

Se não estamos satisfeitos, por que votarmos? Isso é DEMOCRACIA.

Ouvi dizer que se fossemos campeões, cada jogador ganharia um premio de R$ 350.000,00. Tem noção? Se for verdade ou não, eu não sei. Mas verdade ou não o que a taça traria as nossas mesas?

A taça pagaria as minhas, as nossas contas?

Traria leis mais rígidas?

Melhoraria o Serviço Público: saúde, educação e segurança?

Diminuiria o desemprego, a violência, os preços, taxas e impostos?

Ah! Sim... traria mais alienação e descaso. Por que se ganhássemos haveria samba e ninguém preocuparia com nada. Tudo só alegria.

Como perdemos é beber pra esquecer. Ninguém quer pensar em nada. Tudo é só tristeza.

Até quando vamos ser omissos?

Até quando vamos viver na incoerência?

Está na hora de repensarmos.