PortalGuaratiba

O portal da comunidade de Guaratiba.

Editorial do Portal e Coluna Fala Cidadão

Atualização quinzenal - Editorial publicado em 30.09.2010

Fuxico em Guaratiba

Interessa-nos muito mais a forma e a estrutura do módulo básico da peça descrita, ou seja, um pequeno pedaço de trapo que dobrado sobre si mesmo é costurado na borda formando uma pequena trouxinha

Texto: Sergio Mello - Editor do Portal Guaratiba.

Quando pensamos na palavra "fuxico" vem logo à nossa mente o "disse-me-disse", as fofocas que as cirandeiras e costureiras do nordeste e do interior do Brasil costumavam se distrair enquanto faziam as famosas cestinhas de pano que costuradas num lençol ou pano de saco assumiam o papel de belíssimas colchas, toalhas, bolsas e os mais variados objetos do universo do artesanato brasileiro. Dizem os eruditos que a palavra, com origem nas terras africanas nas tribos dos Bacongos nas províncias de Cabinda, foi trazida para o Brasil ainda na época dos escravos com a palavra "fuuzya" que na sua origem significava "mexericar", "segredar", imitando talvez o som das abelhas e moscas que zumbem nos ouvidos. A palavra transformada pelo português virou "fuxico" com este significado.

Fica por aqui a definição, origem e semelhança do que vamos comentar. Interessa-nos muito mais a forma e a estrutura do módulo básico da peça descrita, ou seja, um pequeno pedaço de trapo que dobrado sobre si mesmo é costurado na borda formando uma pequena trouxinha. Enfatizamos o termo "dobrado sobre si mesmo" como pleonasmo para fixação da idéia.

O fato é que as iniciativas culturais, sociais e comunitárias que encontramos em Guaratiba assemelham-se a essa peça de artesanato, dobram-se sobre si mesmas num esforço hercúleo de manter o individualismo e personalismo do seu organizador, isso quando não descaminha para intenções menos nobres de lucro e vantagens pessoais. Temos encontrado dezenas de iniciativas comunitárias na região, que quando convidadas a participar em outros projetos mais abrangentes e impessoais se furtam num desculpismo sem sentido.

Assim é que essas iniciativas se bem que ajudem um pouco aquele reduzido grupo que delas se beneficia, não vão adiante apesar do esforço por vezes solitário de seu idealizador. Temos visto alguns projetos que apesar de atuarem em prol da comunidade carregam o peso do personalismo e por vezes o comprometimento com esse ou aquele candidato ou partido político. Quando assim não acontece aquela associação de moradores que começou na defesa de um bairro ou rua, descamba para um centro político ou até mesmo seu presidente, cooptado por um projeto oficial qualquer, o tranforma em funcionário público, tirando do seio da comunidade aquele que por ela poderia lutar.

Assim acontecem os eventos na região, restritos a um pequeno grupo sem divulgação, apoio, patrocínio e fracos no seu alcançe social e comunitário.

Outros "fuxicos" são alguns comerciantes de Guaratiba, que se fecham em seus ninhos e comercios sem interesse comunitário e completamente ausentes dos problemas da região. Dobram-se sobre si mesmos evitando tratar de assuntos que dia virá alcançarão suas portas tanto quanto agora atingem os menos favorecidos e a população em geral. Muito diferentes são os comerciantes de outros bairros que participam da vida comunitária ajudando, incentivando e melhorando o bairro que os sustenta. Em Guaratiba, não costumam apoiar as inciativas comunitárias e os agentes desse trabalho social são vistos muitas vezes como espertalhões e aproveitadores.

Enfim, projetos comunitários e ações sociais com objetivos filantrópicos realmente, não devem se dobrar sobre si mesmos, devem ampliar os horizontes e o atendimento para longe de seus mentores, despolitizar seus objetivos, desmascarar aqueles que querem se aproveitar parcialmente ou integralmente de seus dividendos, transferindo para a população todo o benefício advindo do trabalho realizado. O personalismo, a vaidade, a ganância e a inveja não devem ser sentimentos de um verdadeiro lider comunitário e social. O desprendimento, a benemerência e a vontade de ajudar além da ética devem ser sem dúvida os sentimentos nobres que irão desatar o nó do fuxico que abrirá o tecido social, formará novos talentos e criará oportunidades reais para todos

Compartilhe esse editorial
Fala cidadão(ã)

Atualização quinzenal - Coluna Fala-cidadão(ã) publicada em 30.09.2010

Pão e Circo

Texto enviado por nosso leitor por email - Marins

Com o crescimento urbano vieram também os problemas sociais para Roma. A escravidão gerou muito desemprego na zona rural, pois muitos camponeses perderam seus empregos.

Esta massa de desempregados migrou para as cidades romanas em busca de empregos e melhores condições de vida. Receoso de que pudesse acontecer alguma revolta de desempregados, o imperador criou a política do Pão e Circo. Esta consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão.

Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu de Roma), onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, diminuindo as chances de revolta. O autor da frase o imperador Júlio César dizendo:

"Ad populum panis et circensis" Para o povo, pão e circo.

Já distribuímos pão, o circo já está montado!

Não deixem Guaratiba se desorganizar

Texto enviado por nosso leitor por email - Neildison

Fico muito feliz de ver que a obra do túnel começou, talvez seja um dos passos a serem dados para que esta região realmente se desenvolva , mas por outro lado como todo carioca, fico preocupado com o crescimento desordenado.

Já pensou se não tivermos, nós moradores e representantes públicos, um plano de crescimento sustentável, provavelmente em breve teremos uma região sem nenhum apelo comercial, turístico e etc.., estaremos condenados a sermos uma área isolada, onde nossos filhos não poderão desfrutar de todas as coisa boas que temos, como praia, gastronomia e principalmente ar puro.

Espero que as autoridades não condenem mais um bairro de nossa cidade tão maravilhosa e de população tão especial a ser uma área esquecida para o futuro.

Minha história é a seguinte: criado no catete/glória , onde morei até os 28 anos, conheci Guaratiba e me apaixonei instantaneamente. Tenho residência em Pedra de Guaratiba, atualmente moro em CATAGUASES-MG por motivos profissionais, mas espero voltar o mais breve possível, pois tenho muita saudade da maneira informal e organizada de se viver no RJ, principalmente o povo guaratibano.

Apelo: Srs, não deixem mais uma região linda do Rio se desorganizar a ponto de continuarmos escutanto por parte de pessoas de fora, que a cidade só boa turisticamente, e que não morariam nunca no Rio, por conta de tudo que acontece. Um beijo e um abraço à todos, e que realmente tenhamos consciência de uma sociedade justa, onde todos tenham oportunidades iguais.