Notícias de Guaratiba

Guaiamum esse desconhecido

Publicado em 06.02.2011

Muita gente captura e consome guaiamum sem saber exatamente de que forma, quando e como deve proceder com este tipo de animal, cujo consumo se for feito de forma inadequada pode até fazer mal à saúde e se capturado em determinada época faz mal não somente a quem consome o crustáceo, mas à natureza.

De acordo com a instrução normativa número 5, de 21 de maio de 2004 do Ministério do Meio Ambiente, no seu artigo primeiro e quinto reconhece que o guaiamum (Cardisoma Guanhumi) é uma espécie sobreexplotada, ou seja, está sendo muito capturada e nesse caso fica ameaçada sua reprodução e poderá ocorrer até sua extinção caso não sejam desenvolvidos planos de gestão para sua captura. Esses planos de gestão visam à recuperação dos estoques e da sustentabilidade da pesca.

Assim, sempre a partir de primeiro de outubro fica proibida a captura e a venda de qualquer quantidade de caranguejo e também de guaiamum. O motivo é o período de defeso, quando as espécies estão em fase de crescimento, trocando a carapaça e, portanto, ficam mais vulneráveis. A proibição vai até o dia 30 de novembro para o caranguejo macho e se estende até o dia 31 de dezembro para as fêmeas da espécie. Já para o guaiamum, o período de proteção é um pouco maior: até o dia 31 de março. Durante o defeso, também é ilegal manter em cativeiro, transportar, beneficiar, industrializar ou armazenar qualquer indivíduo da espécie, vivo ou morto, ou mesmo partes do animal, como patas ou pinças (puãs).

Pescadores artesanais de Guaratiba com a vivência que possuem da vida no mangue vão dando dicas do que acontece com o crustáceo.

-"Sempre que o Maricá floresce o guaiamum anda para acasalar, a gente vê atravessando a pista (Estrada Roberto Burle Marx), pois o guaiamum acasala na areia, fora do mangue, isso ocorre mais ou menos em fevereiro", ensina o pescador.

-"Maricá é uma florzinha que tem na beirada da pista...", completa.

Sempre antes de acasalar o Guaiamum troca o exoesqueleto, entra na toca cuja entrada ele preenche com lama para se proteger dos predadores, pois fica frágil sem a carapaça, fica só aparecendo um pequeno orifício (suspiro), durante esse período se alimenta do próprio casco que solta. É o período de "matumbar", segundo o pescador, portanto é proibido pescar guaiamum "matumbado". Em março e abril as fêmeas de guaiamum procuram os canais com água salgada para largarem os ovos e os filhotes de guaiamum saem por aí comendo os "barrigudinhos", peixinhos miúdos da beira do canal.

A partir de abril é que começa a aparecer o guaiamum na mesa dos restaurantes de bares de Guaratiba, época em que é permitida a captura. Quem pretende capturar guaiamum para consumir deve observar que o animal quando em liberdade no mangue consome tudo que vê pela frente e é comum estar contaminado por todo tipo de material e produto consumido, assim antes de consumir guaiamum é muito importante colocá-lo num período de "engorda" em cativeiro não inferior a oito dias oferecendo ao animal milho, fubá e mesmo resto de comida de casa para ir limpando as entranhas do bicho das porcarias que consome no mangue. Após esse tempo é que o guaiamum pode ser consumido sem perigo de provocar uma diarréia.

Nota da Redação - Após o defeso pode-se encontrar guaiamum de cativeiro com Nivaldo & Gerson - Tel 3156-0750 - Poço das Pedras - Barra de Guaratiba

Compartilhe essa notícia