Notícias de Guaratiba

Eduardo Paes critica construção de siderúrgica em Santa Cruz

Publicado em 19.04.2011

A Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), construída em Santa Cruz, deixou a cidade mais poluída, não criou os empregos esperados e nem os impostos anunciados. A conclusão é do prefeito da cidade do Rio de Janeiro. É importante a fala do prefeito reconhecendo o que os ambientalistas, moradores e pescadores da região já denunciaram há muito tempo.

O prefeito fez a afirmação ontem (18/04) durante a apresentação da 7ª Sondagem Empresarial, com o apoio do GLOBO, disse que prefere "indústrias sem chaminés" e adiantou que seu governo prepara incentivos fiscais para a construção de edifícios ambientalmente sustentáveis, disse ainda que se tivesse participado do processo de licenciamento da siderúrgica, não daria incentivos para a empresa se instalar na região.

A Vale e a ThyssenKrupp são responsáveis pela CSA que foi construída para produzir 5 milhões de placas de aço por ano. Logo no início de funcionamento provocou acidentes que poluiram a região com fuligem o que prejudicou cerca de 6 mil famílias. Aconteceu uma série de irregularidades e apesar de multada pelos órgãos ambientais, continuou a poluir a região. Outra irregularidade da empresa foi a contratação de mão de obra chinesa para trabalhar nas obras, contrariando o que foi acertado com o governo além de ter sido denunciada por ações de milícias no local.

O que foi muito criticado no processo de licenciamento e aparentemente sem explicações lógicas, foi o desligamento do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) do processo de licenciamento da empresa e a entrada do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) em seu lugar permitindo uma rapidez que não é normalmente conseguida em processos desse tipo.

- "Se eu estivesse na origem do processo decisório da vinda da CSA, talvez eu não tivesse ajudado a empresa a vir. Se eu fosse prefeito em 2003, 2004, eu daria os incentivos? Não. Se uma empresa desse padrão industrial procura a prefeitura (para tratar de incentivos fiscais) eu nem recebo, peço para alguém do quarto escalão receber, para que se perceba que um projeto como este não é bem-vindo na cidade do Rio",disse o prefeito, mas explicou que teve de renovar os benefícios concedidos a ThyssenKrupp, idealizadora do projeto, para manter o bom ambiente de negócios, com a estabilidade tão valorizada pelos empresários.

- "A CSA dá um ganho zero para o município, pelas questões ambientais. Quantos empregos são gerados pela CSA? Talvez menos que o Fashion Week. Não quero ser indelicado, mas a indústria sem chaminé é muito mais intensiva em mão de obra. O que me incomoda é que uma cidade quer ter uma marca diferente, sustentável, global, e tem um treco jogando fuligem pelo ar", afirmou o prefeito.

- "Ela não paga (ICMS). Tem isenção total, imagino, e tem isenção também de ISS. É um investimento fantástico, mas não é algo pelo qual me apaixone. Eu não acho que a cidade enfrentaria problemas se não a tivesse, acho que tem mais problemas em tê-la".

Leia a Declaração de moradores de Santa Cruz e pescadores da Baía de Sepetiba

Compartilhe essa matéria
Share |