Notícias de Guaratiba

Moradores de Guaratiba pedem explicações à CEDAE sobre falta de água na região

Publicado em 23.02.2011

O CEPAG - Centro de Estudos Projetos e Ações de Guaratiba encaminhou ofício ao Presidente da CEDAE solicitando uma audiência no intuído de pedir esclarecimentos sobre a existência de projetos para equacionar a questão da baixa vazão de água na Região de Guaratiba, especialmente no Retiro dos Motoristas, Ilha de Guaratiba, Barra de Guaratiba, Pedra de Guaratiba e Vila Mar.

Ontem, dia 22/02, a propósito desta solicitação, uma comissão de moradores dos subbairros citados no ofício do CEPAG foram recebidos pelo Gerente Geral da CEDAE responsável pela região, Sr. Antonio Paranhos (Toninho). O Portalguaratiba acompanhou a comissão de moradores no encontro promovido pelo CEPAG.

Os moradores ouviram do Sr. Toninho, que também se declarava morador antigo de Guaratiba, que a CEDAE vinha acompanhando os acontecimentos com preocupação e tinha conhecimento da falta de abastecimento em algumas localidades, mas por problemas antigos e inerentes ao crescimento desordenado da região, muitas vezes sem a aprovação e o conhecimento da própria CEDAE, esses desabastecimentos pontuais são muitas vezes provocados pelos próprios incorporadores e loteadores, que muitas vezes vendem os terrenos e constroem moradias sem a necessária infraestrutura.

O CEPAG como tem feito estudos e acompanhado de perto a ocupação urbana de Guaratiba e as soluções encontradas pela CEDAE para o fornecimento de água aos moradores, apontou como um possível problema do desabastecimento de algumas ruas ou trechos de rua, as ligações de adutoras e encanamentos novos em tubulações velhas de ferro (barbará) provavelmente enferrujadas e obstruídas.

-"As explicações para a falta de água em Guaratiba têem origem no crescimento desordenado e caótico, com um aumento exponencial da população e do consumo nos meses quentes de verão, e a solução deve passar necessariamente por novos projetos com grandes investimentos que aumentem o fornecimento de água para a região".

-"Não há outra solução", garante o Gerente Antônio Paranhos.

Segundo os técnicos da CEDAE já existem estudos e projetos em andamento para resolver o problema, entretanto não puderam fornecer detalhes nem prazos para essa solução, resta aos moradores à esperança de que o Governo Federal ajude o Estado do Rio de Janeiro a resolver essa situação de calamidade pública antes dos grandes eventos esportivos que acontecerão na cidade.

Compartilhe essa notícia